Previous
Next

CONSELEITE DE RONDÔNIA ANALISA E DIVULGA OS PREÇOS DE REFERÊNCIA DO LEITE PARA O MÊS DE OUTUBRO/2021

Na reunião mensal do dia 7 de outubro, após ampla discussão entre os membros das entidades representativa dos produtores composta pela Faperon, Fetagro, representantes dos laticínios, Universidade Federal do Paraná, produtores de leite e técnicos convidados. Foram apresentados ao Conseleite, o comportamento do mercado de leite do mês de setembro e da primeira semana de outubro de 2021.

Segundo os dados formais apresentados pelos serviços de consultoria e apoio ao Conseleite de Rondônia prestados pela Universidade Federal do Paraná com vasta experiencia na metodologia aplicada em vários Conseleite em outros Estados do Brasil.  Em análise das notas fiscais de venda no atacado, apresentadas pelos laticínios a universidade, ocorreu uma forte tendência de estabilidade de preços nos produtos lácteos industrializados na venda no atacado no mês.

Nos gráficos foi apresentado que o nosso parque industrial de Rondônia transforma e industrializa 74,14 % do leite produzido em muçarela o nosso principal produto. Em segundo vem o leite UHT com 10,98% de participação, seguidos pelo leite em pó com 7,65% e em menor quantidade com a produção de creme de leite, queijos, requeijão, doces, bebidas lácteas, soro em pó, manteiga, leite pasteurizado e outros. Observa que alguns produtos lácteos como manteiga e doces de leite que o mercado mais remunera não é processado em grande escala em Rondônia.

O principal produto de Rondônia, a muçarela, foi comercializada no mês de setembro no atacado baixou de R$ de 25,84 para R$ 25,77 o quilo, tendo um recuo nos preços no período, já o leite UHT, teve ligeira melhora nos preços subiu de R$ 3,72 para R$ 3,80  o litro, já o Leite em pó teve um pequeno aumento saiu de R$ 21,16 e foi vendido a 21,46 o kg, outros produtos em menor escala teve uma ligeira melhora no valor, equilibrando os preços comercializados no mix dos produtos lácteos vendidos no mês apurado.

Os preços de referência são obtidos a partir da capacidade de pagamento dos laticínios, por meio do acompanhamento mensal de vendas dos produtos lácteos pelos laticínios aos distribuidores atacadistas, através da conferência mensal das notas fiscais de venda pelos técnicos consultores da Universidade federal do Paraná, contratada para realizar os serviços técnicos de acompanhamento e apuração dos valores e capacidade de pagamento mês a mês em conjunto com as entidades que representam os produtores de leite do estado e as direções das indústrias de processamento de leite de Rondônia, indistintamente do seu tamanho.

Neste contexto, observamos que no mês ocorreu redução no consumo dos produtos lácteos e as vendas no atacado foram impactadas em relação a mês de agosto de 2021 por várias razões provenientes da dificuldade da economia, efeitos indiretos da pandemia e aumento dos custos de vida e redução do poder de compra das famílias das classes sociais que mais consomem leite e seus subprodutos.

 

Segundo dados apresentados pelos laticínios, os custos do litro de leite médio pago em Rondônia, com bonificação em setembro foi de R$1,87 para o produtor, custou no total para os laticínios em média de R$ 2,15 a R$ 2,20 o litro em razão das despesas de fretes e limpezas embutidas.

Registramos que a direção da Faperon em obediência ao regimento do Conseleite assumiu e tomou posse na coordenação dos trabalhos do Conseleite RO e espera ampliar a discussão dos gargalos existentes na cadeia do leite, como, qualidade do leite, baixa genética das matrizes produtoras de leite, liberação de credito bancário para aquisição de animais somente com registro na pecuária de leite, melhoria da alimentação do rebanho, altos custos da logística de transporte do leite da propriedade ao tanque coletivo e no transporte dos tanques aos laticínios entre outros problemas que afetam diretamente o produtor de leite e um maior acompanhamento por parte do setor leiteiro e Sefin dos preços exorbitantes praticados na venda do varejo dos produtos lácteos, o que vem reduzindo o consumo das famílias em Rondônia.

Vale ressaltar que esta cadeia do leite, vem contribuindo e garantindo produtos de qualidade, distribuição de renda e uma alimentação segura a milhares de famílias em Rondônia e alimenta dezenas de municípios com giro financeiro, sendo necessária uma atenção diferenciada para este setor dos seguimentos organizados e dos governos municipal, estadual e federal.

Finalizando, este Conseleite Estadual de forma organizada e exercendo suas prerrogativas legais, assumira a sua responsabilidade de acompanhar, estudar, discutir mensalmente e buscar caminhos e soluções para minimizar os problemas de anos do setor leiteiro de Rondônia, trazendo para a participação mensal os produtores de leite, as lideranças os técnicos para o palco das discussões mensais, onde mensalmente após as reuniões do Conseleite faremos a análise do que aconteceu com o mercado do leite no mês, tanto os aspectos positivos de impactos como os negativos.